quarta-feira, 19 de setembro de 2012

DANÇA: FESTIVAL CORPOS ÍMPARES 2012 - GRATUITO - RJ




FESTIVAL CORPOS ÍMPARES 2012: CORPO, ARTE E DIFERENÇA EM CENA
PULSAR CIA DE DANÇA

Dias: 20 a 23 de setembro

Atividades Gratuitas | Oficinas, palestra e mesas redondas: quinta de 14h às 21h30, sexta de 10h às 21h30, sábado das 10h às 21h30, e domingo de 11h às 20h.

Inscrições para oficinas -serão realizadas 01 hora antes no Centro Coreográfico. Todas as oficinas são para pessoas portadoras e não portadoras de deficiência.
Vagas para oficina: 30

Palestras e mesas – abertas ao público
Espetáculos | quinta, sexta às 19h30 e domingo às 12h30 e 19h.
Ingressos dos espetáculos: R$1,00

Programação completa em | http://www.corposimpares.com.br/    
(para ver as atividades, click nas pétalas)

A segunda edição do Festival Corpos Ímpares acontece de 20 a 23 de setembro, no Centro Coreográfico da Cidade do Rio Janeiro. A programação inclui  a apresentação de sete espetáculos e performances de dança e teatro, a realização de oito oficinas, três mesas redondas e conversa. O encontro é dirigido a estudantes, bailarinos, educadores e demais pessoas, com ou sem deficiência, interessadas em debater, aprender e vivenciar o universo da arte e da diferença.
Realizado pela Pulsar Cia de Dança, que foi contemplado com o edital do Fundo de Apoio à Dança (FADA), da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiroe é produzido pela Hólos Consultores Associados, o Festival Corpos Ímpares é um desdobramento do trabalho realizado pela bailarina e coreógrafa Teresa Taquechel, à frente da companhia. “Sentimos necessidade de aprofundar o debate a partir de experiências variadas nas quais o trabalho artístico se realiza através das diferenças. Nosso objetivo é promover uma troca de experiências e também fazer com que o público perceba que a arte é para todos, independentemente da condição física e social de cada um.”, explica.

Aulas e oficinas – Entre os participantes do encontro está a bailarina e coreógrafa Angel Vianna, referência nas áreas da dança, consciência do movimento e artes cênicas no país. Ela vai ministrar um “aulão”, seguido de conversa, no dia 23. Haverá aula-performance “A Cadeira Como Objeto-Partner”, com a bailarina e coreógrafa Giselda Fernandes, voltada para cadeirantes e não cadeirantes; oficinas específicas para crianças, terceira idade e para o público em geral, realizadas pela Pulsar Cia de Dança, com Rogério Andreolli, Andrea Chiesorin, Beth Caetano, Camila Fersi e outros integrantes da Pulsar. Além de outras oficinas ministradas pelos bailarinos, coreógrafos e professores Ceme Jambay, Alexandre Bhering e Olavo Fabrício.

Debates - As mesas redondas prometem boas discussões. “Sistemas Alternativos de Comunicação” traz a bailarina Andrea Chiesorin, Moira Braga, deficiente visual que investiga a áudio descrição de espetáculos, e Beth Maia, bailarina, mestre em neurociências do comportamento com formação em dança pela Escola Angel Vianna, que desenvolve trabalho com portadores de paralisia cerebral.
“Pensamento e Arte Contemporânea” reúne o filósofo James Arêas, a antropóloga Nízia Villaça, o músico cadeirante Marcelo Yuka e o curador do Festival Panorama de Dança, Eduardo Bonito; em “Dança na Contemporaneidade” debatem Ceme Jambay (bailarino, fundador e diretor do Corpo de Baile do Teatro Guaíra), Lucia Matos (doutora em Artes Cênicas, mestre em Educação, professora da Escola de Dança da UFBA, que lançará o livro “Dança e Diferença” durante o festival), Marta Peres (bailarina, coreógrafa e socióloga) e Silvia Soter (coordenadora de cultura das Redes de Desenvolvimento da Maré e supervisora da Escola Livre de Dança da Maré).
A professora e artista plástica Maria Célia Salgado fala sobre o corpo da arte no primeiro dia do Festival. Será uma conversa sobre história da arte contemporânea menos linear do que uma aula tradicional, segundo ela.

Espetáculos – Durante os quatro dias do Festival haverá apresentações fechando a programação. Na quinta-feira (20/9), a performance multimídia “Isadora.Orb, A Metáfora final”, com Ricky Seabra e Andrea Jabor. Na sexta-feira (21/9), “Jogo Coreográfico”, dirigido por Lígia Tourinho, o espetáculo interativo, que compartilha com o público a coautoria de danças e terá a participação da Pulsar Cia de Dança; e “D…Equilíbrio”, solo de Marcos Abranches, bailarino e coreógrafo da Cia Vidança de São Paulo, portador de deficiência física.
No sábado (22/9), “Cornaca”, da Cia R.E.C., dirigido por Alice Ripoll e Juliana Medella, e “Conatus”, do grupo mineiro Crepúsculo. No domingo (23/9), o Teatro Novo, com atores portadores da Síndrome de Down, se apresenta no início da tarde, às 12h30, e o Grupo de Ações Poéticas – Sistema Nervoso Central, de Lula Wanderley, fecha o encontro com “Corações em Desatino”, uma ópera cordel na qual um cantador dialoga com um rapper.

Créditos Foto de Divulgação:  Tatiana Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.