domingo, 12 de maio de 2013

DANÇA: Mostra de Dança, Teatro, Música e Sarau Literário - SP



Mostra de dança, teatro, música e sarau literário.
 
Realização
Governo de São Paulo
Secretaria de Estado da Cultura 
Unidade de Fomento, Difusão e Produção Cultural/UFDPC
Programa de Ação Cultural/PROAC
Associação Paulista dos Amigos da Arte/APAA
Teatro Sérgio Cardoso


Artistas e Companhias que participarão da IV Plataforma PROAC:
 
DANÇA
Frágil Desconforto – Bruna Petito e Marina Salgado/São Paulo
2 ou 3 coisas que eu sei dele – Núcleo Cinematográfico de Dança/São Paulo
Anseio – Companhia de Danças de Diadema/Diadema
]entre[ aberto – Núcleo Aqui Mesmo/São Paulo
Suportar – Cia. Domínio Público/Campinas
Link – Ribeirão Preto Cia. De Dança/Ribeirão Preto
Poemas Cinéticos – Grupo Lagartixa na Janela/São Paulo
Gestos – Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança/São Paulo
SAMBABEMBOM – Cia. Repentistas do Corpo/São Paulo
Rotatória – Jorge Garcia/São Paulo
Pessoal e Intransferível - Silenciosas + Gt`aime/São Paulo
 
 
TEATRO
Máscaras Populares Urbanas: Uma Commedia Dell´arte Brasileira – Barracão Teatro/Campinas
MUNDICO – Sonata Muda – Cia. Entre Tramas/São Paulo
Coro dos Maus Alunos – Cia. Arthur Arnaldo/São Paulo
Mistério Bufo – A Academia de Palhaços/São Paulo
Contos de Contam Sobre o PousosPássaros – Núcleo Bartolomeu de Depoimentos/São Paulo
Anatomia Woyzeck – Cia. Razões Inversas/São Paulo
O Último Pássaro – Arte Simples de Teatro/São Paulo
O Chamado da Terra – Coletivo Os Construtores de Pontes – CCP/São Paulo
Trem-Bala – Naum Alves de Souza/São Paulo
 
 
MÚSICA
Alex Buck Ockteto – Alex Buck/São Paulo
Meu Amigo Radamés – Vitor Garbelotto/São Paulo
Pianismo – Hercules Gomes/São Paulo
Dança do Paraitinga – João Gaspar/Lagoinha
Dança das Cordas – Alessandro Penezzi/São Paulo
 
 
SARAU LITERÁRIO
Catando Estórias – Muda Praticas/São Paulo
 


 
IV PLATAFORMA PROAC - de 17 a 23 de maio de 2013 
 
17 de maio, sexta feira, 17h – Saguão de Entrada
Alex Buck Octeto
Música
60 minutos, livre
O grupo existe desde 2005, idealizado pelo baterista e compositor Alex Buck, para interpretar suas composições   em homenagem aos dez bateristas brasileiros que mais o influenciaram e que, segundo a visão do músico, são os expoentes do instrumento no Brasil.O repertório do show é uma mescla entre as composições de 2005/2006 - de caráter mais tradicional e vinculadas à estética ‘Samba Jazz’ - e composições recentes (2010-2012) de caráter experimental. Atravessadas pelas diversas correntes da música de vanguarda do século XX, são peças que exploram interpretações de partituras gráficas e jogos de improvisação coletiva.



17 de maio, sexta feira, 18h - Sala Paschoal Carlos Magno
Apresentação do Processo de Criação do Espetáculo/PROAC 2012
FRÁGIL DESCONFORTO
Dança
Direção e Interpretação: Bruna Petito e Marina Salgado 
35 minutos, livre  
Nesta criação a proposta foi questionar o lugar que se ocupa nas relações, seja ela consigo mesmo ou com o outro.  No início da pesquisa houve a necessidade de trabalhos corporais que trouxessem a presença, integridade e a intenção. O Aikido, ministrado pela mestra Christianna Penna, foi uma das técnicas escolhidas, por ser uma arte marcial - e não uma luta de combate –  que vigora uma transferência de energia e uma transformação da intenção do outro.
Paralelamente a esta prática, dando estímulos e direcionamento às questões internas para o desenvolvimento criativo, a pesquisa foi acompanhada pela terapeuta corporal   Marcela Sena.
Na composição da trilha sonora, Christeel Veraart - compositora que vive no Alaska - inspirada nas paisagens das imensidões geladas, trouxe a densidade sonora que precisávamos.  Para criação desta atmosfera cênica, Mirella Brandi, designer de luz, estabelece uma conexão direta com o corpo, propondo situações, e direcionando o olhar do espectador, na construção de uma cena na dança.



17 de maio, sexta feira, 19h – Saguão de Entrada
ALEX BUCK OCTETO
Música
60 minutos, livre
O grupo existe desde 2005, idealizado pelo baterista e compositor Alex Buck, para interpretar suas composições   em homenagem aos dez bateristas brasileiros que mais o influenciaram e que, segundo a visão do músico, são os expoentes do instrumento no Brasil. O repertório do show é uma mescla entre as composições de 2005/2006 - de caráter mais tradicional e vinculadas à estética ‘Samba Jazz’ - e composições recentes (2010-2012) de caráter experimental. Atravessadas pelas diversas correntes da música de vanguarda do século XX, são peças que exploram interpretações de partituras gráficas e jogos de improvisação coletiva.



17 de maio, sexta feira, 20h - Sala Paschoal Carlos Magno
2 ou 3 coisas que eu sei dele
Dança
Concepção e Interpretação: Mariana Sucupira
40 minutos, livre
É um solo de dança que se aproxima de um ensaio literário. Uma dança-ensaio. São dois ou três pensamentos do corpo sobre cinema, sobre Jean-Luc Godard, sobre a dança que se apresenta ou que poderia se apresentar. Três capítulos que se entrecruzam. Editados pelos quadros de luz que editam a coreografia. Pela trilha narrada em off. A dança é construída e se desmancha pela intervenção da palavra: escrita, falada, ouvida, vista. Fragmentos narrativos, intertextualidades, citações, inflexões poéticas e plágios. Uma organização polifônica, que sintetiza planos superpostos, situados entre o  poético  e o didático. Uma reflexão subjetiva baseada na tensão entre as linguagens que se apresentam.



17 de maio, sexta feira, 21h - Sala Sérgio Cardoso
Conferência Processual sobre a criação do espetáculo 
Anseio 
Dança
Companhia de Danças de Diadema
70 min, 15 anos – capacidade para 80 pessoas, público no palco.
 A Conferência Processual pretende desenvolver alguns procedimentos pesquisados e experimentados no decorrer da criação coreográfica ainda em processo, do espetáculo “Anseio” de Cláudia Palma, especialmente criado para a Companhia de Danças de Diadema. São laboratórios do movimento, que propõem serem praticados por aqueles que sentirem o interesse de participar desta experiência, vivenciando através do movimento as sensações dos novos caminhos que o corpo percorre. Caminhos estes que são deflagrados em momentos de novas criações coreográficas. Alternando com as vivências, cenas do novo trabalho serão mostradas e discutidas pelo elenco da Companhia de Danças de Diadema e a artista convidada Cláudia Palma.
 
18 de maio, sábado, 15h – Saguão de Entrada
MEU AMIGO RADAMÉS
Vitor Garbelotto
Música 
60 minutos, livre
Como continuidade do seu primeiro trabalho, em “Meu Amigo Radamés”, Vitor Garbelotto registra neste CD os arranjos criados para seu primeiro disco “Radamés Gnattali – Integral para Violão Solo” (prêmio APCA) em 2010. No repertório, obras de Tom Jobim, Pixinguinha, Paulinho da Viola, Raphael Rabello e até mesmo de Gnattali, que muito raramente são apresentadas com arranjos para violão solo.
O disco e o concerto privilegiam a Música Brasileira em seus diversos formatos, como sambas, choros e valsas, tendo como figura centralizadora, o compositor Radamés Gnattali. Num formato descontraído, Garbelotto conta as histórias das obras e as relações entre Gnattali com os demais compositores presentes no repertório.
O CD foi apontado pela crítica especializada como um dos discos de violão mais importantes lançados no Brasil nos últimos anos. Em 2011 foi indicado ao 22º Prêmio da Música Brasileira, na categoria Revelação. E em 2012 foi apontado pelo Jornal “O Globo”, como um dos principais representantes do novo violão brasileiro.
 
18 de maio, sábado, 16h – 1º andar e sala de ensaio
]entre[aberto 
Performance de dança site specific + Vídeo in situ
Núcleo Aqui Mesmo
30 minutos, livre – capacidade para 50 pessoas
Criada para espaços não convencionais, ]entre[aberto articula as linguagens da dança e da arquitetura numa performance de dança in situ/ site specific.
Quatro performers investem no espaço arquitetônico do Teatro Sérgio Cardoso buscando orquestrar ritmos e direções que animem e atualizem potenciais latentes deste espaço. O corpo como medida viva e pulsante da arquitetura, como molde dos espaços vazios, dos espaços ‘entre’ estruturas arquitetônicas ou ainda o corpo como potencializador para oferecer outras perspectivas para além das habituais são alguns dos elementos motores desta performance.
O Núcleo Aqui Mesmo, compartilha através de um vídeo produzido especialmente para a Plataforma ProAC , seu processo de criação em um dos sítios de residência do Núcleo: a Casa das Rosas.
Durante 04 meses construímos uma relação de ‘co-habitação’ entre a nossa proposta artística (a performance ]entre[aberto) e o contexto da Casa das Rosas (seus usos, funções e arquitetura). Este vídeo coloca em perspectiva nosso processo de criação in situ e busca provocar algumas reflexões intrínsecas a esta complexidade de uma proposição de dança site-specific. 
 
18 de maio, sábado, 17h – Saguão de Entrada
PIANISMO
Hercules Gomes
Música
60 minutos, livre
Em seu primeiro trabalho solo Hercules Gomes demostra suas fortes influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita, aliadas a uma técnica refinada traduzindo ao piano seu universo sonoro.
Em 2012 foi o vencedor do 11º Prêmio Nabor Pires de Camargo - Instrumentista promovido pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba em homenagem ao importante compositor natural da cidade.
Nesse show Hercules apresenta o repertório do CD Pianismo que é composto por 6 composições próprias e 6 arranjos para músicas de compositores como Edu Lobo, Hermeto Pascoal e Ernesto Nazareth, trazendo fotografias panorâmicas do piano brasileiro com muito ritmo e lirismo.
 
18 de maio, sábado, 18h – Hall de entrada da Sala Sérgio Cardoso
Apresentação do Processo de Criação do Espetáculo
SUPORTAR - site specific
Dança
Cia. Domínio Público
15 minutos, livre - capacidade para 50 pessoas
Partindo da definição da palavra "suportar" descobrimos inúmeras ações  que se apresentam e se tornam as diretrizes de um trabalho que trata  das relações cotidianas de um casal confinado em um espaço íntimo. Exploramos o peso do outro a fim de manter uma oposição para não cair, afundar ou escorregar, ser capaz de rolar, resistir, não enfraquecer ou não reforçar, tolerar.  O dueto interpretado por Claudia Millás e Leandro Rivieri utiliza o corpo como suporte para revelar ao público relações de indução em que ambos se propõem suportar física e figurativamente um ao outro. 
 
18 de maio, sábado, 19h – Sala Sérgio Cardoso
Apresentação do Processo de Criação do Espetáculo
LINK
Dança
Ribeirão Preto Cia. de Dança
25 minutos, livre
A coreografia proposta tem como tema central as relações de influências ou relações co-dependentes de maneira subjetiva. Partindo das questões: Por que alguém muda de direção, opinião ou comportamento quando é influenciado por outro? Até que ponto isso leva a um total “apagamento” do verdadeiro eu.
 
19 de maio, domingo, 15h – Saguão de Entrada
POEMAS CINÉTICOS – Performance
Grupo Lagartixa na Janela
40 minutos, Livre - capacidade para 50 pessoas
Criada para o público infantil, Poemas Cinéticos reúne um grupo de performers investindo na dança em parques urbanos e espaços públicos. A dimensão arquitetônica e simbólica destes espaços é potencializada como um grande “quintal” de criação. Contemplação, memórias, sentidos e ludicidade se alternam nesta proposta onde o encontro da dança com os elementos do espaço estimulam o imaginário do público.
 
19 de maio, domingo, 16h – Saguão de Entrada
PIANISMO
Hercules Gomes
Música
60 minutos, livre
Em seu primeiro trabalho solo Hercules Gomes demostra suas fortes influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita aliadas a uma técnica refinada traduzindo ao piano seu universo sonoro.
Em 2012 foi o vencedor do 11º Prêmio Nabor Pires de Camargo - Instrumentista promovido pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba em homenagem ao importante compositor natural da cidade.
Nesse show Hercules apresenta o repertório do CD Pianismo que é composto por 6 composições próprias e 6 arranjos para músicas de compositores como Edu Lobo, Hermeto Pascoal e Ernesto Nazareth, trazendo fotografias panorâmicas do piano brasileiro com muito ritmo e lirismo.
 
19 de maio, domingo, 17h – Sala Paschoal Carlos Magno
GESTOS 
Dança
Cia Mariana Muniz de Teatro e Dança
50 minutos, livre
GESTOS é o  mais novo trabalho de criação da 
Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança, resultante 
de sua imersão no estudo de Libras (Língua 
Brasileira de Sinais).  
Neste projeto não cabem traduções, e sim articulações entre palavras expressas em línguas distintas num espaço comum, onde os desenhos dos gestos se mesclam a vozes que igualmente desenham formas e sentidos.  
Trata-se da projeção no espaço dos códigos verbais e não verbais, seja por meio dos gestos, seja por meio da oralidade, tendo como fio condutor as estruturas coreográficas que dimensionam e articulam esses mesmos códigos.
GESTOS  se dirige a dois públicos distintos: o dos surdos e o dos ouvintes, sem exclusão daqueles que livremente transitam entre essas duas línguas.
 
19 de maio, domingo, 18h – Saguão de Entrada 
DANÇA DO PARAITINGA
João Gaspar
Música
60 minutos, livre
Natural de Lagoinha-SP, João Gaspar desde pequeno teve contato com as manifestações musicais da cidade. Ao frequentar a casa de Negão dos Santos, aprendeu e pesquisou a obra de Elpídio dos Santos. 
Já dividiu o palco com Fafá de Belém, Renato Teixeira, Zeca Baleiro, Zé Geraldo, Inezita Barroso, Rolando Boldrin, entre outros. 
O “Show Dança do Paraitinga” visa apresentar composições autorais e dos artistas Elpídio dos Santos (1909-1970), Godofredo Guedes (1908-1986), Negão dos Santos, Galvão Frade, Gabriel Sater e Gabriel Guedes. 
 
19 de maio, domingo, 19h – Sala Sérgio Cardoso
SAMBABEMBOM 
Dança
Cia Repentistas do Corpo
50 minutos, livre
O espetáculo “Sambabembom” é uma viagem poética através dos caminhos que levaram o Samba a ser reconhecido, pelos críticos, como um dos ritmos mais interessantes da música mundial. A concepção do espetáculo interdisciplinar reúne cenas de dança contemporânea e teatro que são alinhavadas por vinhetas rítmicas e vocais produzidas pelo elenco que também toca instrumentos de percussão, ao vivo. 
O trabalho é interpretado pelos artistas da Cia. Repentistas do Corpo que tem a  oportunidade de mergulhar neste universo e vivenciar no corpo a cadência e a síncope do Samba neste cruzamento de linguagens artísticas. O desenvolvimento desta nova ideia amplia os horizontes da Cia. que segue na busca de uma expressão artística singular que resulte em um discurso poético simples, lírico e sincopado como um samba de Cartola, Paulinho da Viola, Jackson do Pandeiro... 
Samba do Bem, Samba do Bom, SAMBABEMBOM!
 
20 de maio, segunda feira, 16h – Sala Sérgio Cardoso
Apresentação do Processo de Criação do Espetáculo
ROTATÓRIA 
Dança
Jorge Garcia
30 minutos, livre - capacidade para 80 pessoas, público no palco.
Um homem chega sozinho numa rotatória.  
A rotatória pra ele simboliza o mundo e nela, ele construirá um universo abstrato com ossos de animais de tamanhos desproporcionais. Sua relação com estes objetos será o mote de desenvolvimento da performance, inspirado nas imagens do artista plástico Slinkachu no livro "Little People in The City".
 
20 de maio, segunda feira, 17h – Sala de Ensaio
Apresentação do Processo de Criação do Espetáculo
Máscaras Populares Urbanas: Uma Commedia Dell´arte Brasileira
Teatro
Barracão Teatro
60 minutos, 12 anos
Num bairro da cidade grande os preparativos para a tradicional “Festa de Todos os Cantos” estão quase terminados, quando Tienô, a guardiã da festa, descobre que os novos moradores, um casal recém-chegado, fará a inauguração do SIDIC – Salão Incondicional dos Direitos Condicionados, no mesmo dia da famosa festa. A novidade divide os moradores e algumas atrações da festa tradicional, acabam se debandando para a outra festa. Tienô vai tentar de tudo para manter a tradição, enquanto os novos moradores tentarão de tudo para assegurar sua permanência no bairro. Muitas confusões acompanham esta disputa e o humor impera na relação entre os moradores. 
 
20 de maio, segunda feira, 18h – Saguão de entrada
DANÇA DAS CORDAS
Alessandro Penezzi
Música
60 minutos, livre
Um presente para os apaixonados e estudantes pelo gênero musical e instrumental. Nos estudos, ficam evidentes as referências a Villa-Lobos e Radamés, ícones da criação violonística brasileira. Nos sambas, choros e valsas, sentimos o quanto João Pernambuco, Garoto, Baden, e até o venezuelano Antonio Lauro estão presentes e inspiram o compositor Penezzi.
 
20 de maio, segunda feira, 19h – Sala Paschoal Carlos Magno
MUNDICO - Sonata Muda
Teatro
Cia. Entre Tramas
70 minutos, livre
Um espetáculo essencialmente de imagens e sensações. Revela a história de Raimundo, um velho palhaço, que tem como seu único refúgio um depósito abandonado, aonde cria seu pequeno mundo para fugir da realidade e lá reviver suas memórias. O espetáculo fala da poesia e da dor de sentir saudade sem medo e o quanto essa mesma poesia pode nos colocar frente a frente com nossos monstros guardados. 
É um espetáculo de Teatro de Animação, destinado a toda família, que se utiliza de uma técnica ainda pouco pesquisada no Brasil, a da máscara inteira expressiva, criada a partir do exagero da figura humana, destacando os aspectos cômicos e psicológicos do personagem. Com uma trilha sonora original para violoncelo executada ao vivo, quer parar o tempo e transportar o público para um mundo quase esquecido, onde cada um, a semelhança de Raimundo, pode resgatar um pouco, sem medo, o já vivido. 
 
20 de maio, segunda feira, 20h – Sala Sérgio Cardoso
CORO DOS MAUS ALUNOS
Teatro
Cia. Arthur Arnaldo 
65 minutos, 14 anos - capacidade para 80 pessoas, público no palco.
Coro dos maus alunos de Tiago Rodrigues é a história de um velho professor de filosofia com uma “alma jovem”, fã de controvérsias e promotor do espírito crítico dos seus alunos em relação à escola. Acusado de confundir os jovens estudantes e de manter com eles relações que ultrapassam os limites de uma relação entre professor e aluno, o educador é submetido a um processo. Esta é uma variação contemporânea sobre o julgamento de Sócrates, ocorrido em plena democracia ateniense. Tal como em Atenas, é pela voz dos alunos que conhecemos, distorcida e interpretada, a vida do velho professor e a história do seu julgamento. Resta aos alunos registrar e tornar pública a injustiça que testemunharam. No entanto, é necessário primeiro garantir que serão ouvidos por todos.
 
21 de maio, terça feira, 18h – Sala Paschoal Carlos Magno
PESSOAL E INTRANSFERÍVEL
Dança
Silenciosas + Gt`aime
60 minutos, 16 anos
Esta é uma ficção pessoal. As relações são fictícias, porém, qualquer semelhança com a realidade dos bailarinos-atores-músicos que as interpretam NÃO é mera coincidência.
Os intérpretes buscam em si a inspiração para desenvolver uma história. O tema é próximo a ele, pertence ao intérprete, porém as circunstâncias, as ações são fictícias. No entanto, ao recriar as afecções que geraram esse sentimento, facilitamos o distanciamento crítico necessário na atuação. O intérprete-criador precisa saber como guiar suas partituras físicas e vocais dentro do jogo cênico e precisa estar em contato com as sensações em questão, sem ser absorvido por elas. É um equilíbrio dinâmico entre depoimento pessoal e ficção. Uma improvisação onde a música, a dança e o teatro são ferramentas para a realização de um trabalho Pessoal e Intransferível.


21 de maio, terça feira, 19h – Saguão de Entrada
MEU AMIGO RADAMÉS
VITOR GARBELOTTO
Música 
60 minutos, livre
Como continuidade do seu primeiro trabalho, em “Meu Amigo Radamés”, Vitor Garbelotto registra neste CD os arranjos criados para seu primeiro disco “Radamés Gnattali – Integral para Violão Solo” (prêmio APCA) em 2010. No repertório, obras de Tom Jobim, Pixinguinha, Paulinho da Viola, Raphael Rabello e até mesmo de Gnattali, que muito raramente são apresentadas com arranjos para violão solo.
O disco e o concerto privilegiam a Música Brasileira em seus diversos formatos, como sambas, choros e valsas, tendo como figura centralizadora, o compositor Radamés Gnattali. Num formato descontraído, Garbelotto conta as histórias das obras e as relações entre Gnattali com os demais compositores presentes no repertório.
O CD foi apontado pela crítica especializada como um dos discos de violão mais importantes lançados no Brasil nos últimos anos. Em 2011 foi indicado ao 22º Prêmio da Música Brasileira, na categoria Revelação. E em 2012 foi apontado pelo Jornal “O Globo”, como um dos principais representantes do novo violão brasileiro.
 
21 de maio, terça feira, 20h – Sala Sérgio Cardoso
MISTÉRIO BUFO
Teatro
A Academia de Palhaços
95 minutos, 14 anos
O espetáculo conta a saga dos sobreviventes de um dilúvio: pobres e ricos que se encontram no polo norte (único lugar seco da Terra) e decidem construir uma arca de salvação. A bordo dela elegem um rei e em seguida o jogam no mar, erguem uma república e então a dissolvem, depois atravessam o mundo alagado, céus, infernos e o próprio caos na tentativa de sobreviver e lidar com a sede humana pelo poder. Os cinco atores da companhia interpretam os mais de trinta personagens da trama em composições tipificadas e com entradas e saídas dinâmicas. Os movimentos dos atores são complementados pelo piano ao vivo que rege a cena como uma coreografia, além de acompanhar as vozes nas mais de dez canções que permeiam o espetáculo.
 
22 de maio, quarta feira, 11h – Sala Paschoal Carlos Magno
Apresentação do Processo de criação do espetáculo e debate com o público.
CONTOS QUE CONTAM SOBRE POUSOSPÁSSAROS
Teatro
Núcleo Bartolomeu de Depoimentos
60 minutos, 12 anos
Jovens meninas em alguma periferia do mundo, diante do constante  extermínio dos “pequenos” envolvidos com o tráfico, decidem criar uma “fresta no tempo" e fazem "um dia de poder ser criança", de ter direito à  poesia, à criação de imaginário, que diante da realidade em que vivem se torna um instante diferenciado no tempo e no espaço.
 
22 de maio, quarta feira, 18h – Saguão de Entrada 
DANÇA DO PARAITINGA
João Gaspar
Música
60 minutos, livre
Natural de Lagoinha-SP, João Gaspar desde pequeno teve contato com as manifestações musicais da cidade. Ao frequentar a casa de Negão dos Santos, aprendeu e pesquisou a obra de Elpídio dos Santos. 
Já dividiu o palco com Fafá de Belém, Renato Teixeira, Zeca Baleiro, Zé Geraldo, Inezita Barroso, Rolando Boldrin, entre outros. 
O “Show Dança do Paraitinga” visa apresentar composições autorais e dos artistas Elpídio dos Santos (1909-1970), Godofredo Guedes (1908-1986), Negão dos Santos, Galvão Frade, Gabriel Sater e Gabriel Guedes. 
 
22 de maio, quarta feira, 19h – Saguão de Entrada
CATANDO ESTÓRIAS 
Sarau Literário 
60 minutos, Livre
Tudo começa com catadores e o Coletivo Dulcinéia Catadora. Coordenado pela artista plástica Lucia Rosa, o Coletivo realiza oficinas artísticas em que catadores da Cooperglicerio e público confeccionam capas de livros com materiais recicláveis. Autores renomados – como o poeta Manoel de Barros e Haroldo de Campos -- e novos autores --como Marcelo Ariel e Sebastião Nicomedes, que lançaram seus primeiros livros pelo Coletivo --, cedem os direitos de utilizar seus contos e poemas para compor o acervo de mais de 90 títulos com capas artisticamente trabalhadas. No Sarau Literário, na instalação guarda-livros, poemas e contos catados pelo Coletivo, são interpretados pelo ator e contador de estórias Fabio Figueiredo. Na programação, contos inéditos de Andrea del Fuego (Nego Fogo), Marcelo Ariel (O Céu no Fundo do Mar), Marcelino Freire (Sertânias), Sebastião Nicomedes (Cátia, Simone e Outras Marvadas) e contos infanto-juvenis da premiada autora Indigo.   
 
22 de maio, quarta feira, 21h – Sala Sérgio Cardoso
ANATOMIA WOYZECK
Teatro
Cia Razões Inversas
60 minutos, 14 anos
Anatomia Woyzeck é a nova criação da Cia Razões Inversas a partir dos fragmentos Woyzeck, de Georg Büchner, com encenação de Marcio Aurelio.
O espetáculo encerra a trilogia Anatomia Comparada iniciada com Agreste, em 2004, e com Anatomia Frozen, em 2009, que propõe a discussão no teatro sobre a natureza da mente humana e a violência social. 
No espetáculo, os atores/pregoeiros apresentam os diversos fragmentos, alternando-se nos personagens que compõe a história baseada no caso real do soldado Woyzeck, responsabilizado, condenado e executado pelo assassinato de sua mulher, ocorrido em Leipzig, na Alemanha, em 1821.
 
23 de maio, quinta feira, 11h – Sala Paschoal Carlos Magno
O ÚLTIMO PÁSSARO
Teatro
Arte Simples de Teatro
100 minutos, 14 anos
“Órfã - Vovô, o que é um pássaro?
Vovô - Eles voavam.
Órfã - Com pessoas dentro?”
A parte pelo todo. Assim é a peça de Keith Johnstone, que conta várias histórias, para contar uma só história: a história de um mundo que, ao que tudo indica, pode um dia vir a ser o nosso. Ou será que já vivemos nele? A história do martírio de um carrasco, que adquire as chagas de Jesus Cristo. A história da mulher-monstro que quer destruir um monstro. A saga do noviço, que fica amigo de Jesus, luta com a Morte e vence. A do Bispo que batiza a Morte. A da Órfã, adotada pelo Vovô, que vê um lindo pássaro branco voando no céu – o último pássaro vivo na Terra. A história do pássaro branco que na verdade era um anjo, capturado por bárbaros ‘soldados’, que serram suas asas. A do falso aleijado que vira ex-falso aleijado, pois é aleijado por outros três aleijados. A do Bispo que rouba as asas do Anjo para voar até Deus. A do Vovô, que a Morte mata e que Jesus ressuscita. A do carrasco que protege a Órfã. A do carrasco que massacra a Órfã, e toda uma família. A de Jesus que cura um ex-falso aleijado. A de Jesus que cura um carrasco. A do carrasco que morre. E a última história: a da Órfã que joga baralho com Jesus no Céu.
 
23 de maio, quinta feira, 16h – Sala Sérgio Cardoso
O Chamado da Terra
Teatro
Coletivo Os Construtores de Pontes – CCP
50 minutos, livre - capacidade para 80 pessoas, público no palco.
Era uma vez “A Cinzenta e Barulhenta Cidade Sem Tempo”, seus moradores a chamavam de “Acibacistem” - para não gastar seu tempo e energia dizendo o nome completo – eles se esqueceram dos mistérios da vida, por isso ser criança era quase impossível... 
Um dia, os guardiões deste lugar – Gaia e Mistério - enviam um Chamado convocando crianças para salvar a cidade. 
Kallulu, Manu, Rubi e Milsim, crianças muito diferentes entre si e que nunca haviam brincado antes, passam a fazer parte desta aventura. Nesta saga terão que abrir mão do que parece importante para os seus umbigos e olhar uns para os outros por pelo menos um instante. Passarão por provas como salvar um pássaro preso que desaprendeu a voar, encarar uma velha que não suporta o silêncio e encarar um homem que acredita estar preso no tempo do trânsito, mas o que eles não sabem é que o verdadeiro desafio será apenas: Brincar!
O público participa ativamente desta jornada, criando um novo mundo!
 
23 de maio, quinta feira, 19h – Saguão de Entrada
DANÇA DAS CORDAS
Alessandro Penezzi
Música
60 minutos, livre
Um presente para os apaixonados e estudantes pelo gênero musical e instrumental. Nos estudos, ficam evidentes as referências a Villa-Lobos e Radamés, ícones da criação violonística brasileira. Nos sambas, choros e valsas, sentimos o quanto João Pernambuco, Garoto, Baden, e até o venezuelano Antonio Lauro estão presentes e inspiram o compositor Penezzi.
 
23 de maio, quinta feira, 20h – Sala Sérgio Cardoso
Leitura dramática do espetáculo TREM BALA e debate/palestra sobre a vida, obra e o processo de criação de NAUM ALVES DE SOUZA, com a presença dos convidados: Aimar Labaki, J.C.Violla, Roberto Arduin, Lívio Tratenberg e Wagner Freire. Mediação: Marco Antonio Pamio.
TREM BALA
Teatro
Duas horas e meia, 14 anos 
Sua Excelência, velho governante há décadas no poder, e a primeira esposa, Dona  Bluma, estão nas mãos das filhas adultas e de Filipa, a nova e ambiciosa esposa.  De olho na fortuna, querem "resolver" o problema da senilidade de Sua Excelência, de Dona Bluma, Dom Círio - velhíssimo cardeal -, Dr. Venâncio - médico há muitas gerações - e Sinusina - cozinheira que trabalhou para o tataravô de Sua Excelência. Aproveitam-se do fato do velho governante imaginar que seu projeto do Trem-Bala se concretizou e está pronto para a viagem inaugural.  Filipa, aliada às jovens, estimula Sua Excelência e agregados a "embarcar e viajar" no magnífico trem que os levará ao encontro de um famoso médico alemão. "Trem-Bala"mostra os percalços dessa agitada viagem.


Serviço:
Teatro Sérgio Cardoso
Sala Sérgio Cardoso – capacidade para 300 lugares (especialmente concebido para o evento)
Sala Paschoal Carlos Magno – capacidade para 144 lugares
Saguão – capacidade para 180 lugares
Palco da Sala Sérgio Cardoso: capacidade para 80 lugares – ANSEIO, ROTATÓRIA, CORO DOS MAUS ALUNOS, O CHAMADO DA TERRA.
Outros espaços do Teatro Site Specific e Salas de Ensaio: capacidade para 50 lugares – ENTRE ABERTO, SUPORTAR, POEMAS CINÉTICOS, MÁSCARAS POPULARES.
 
 
Ingressos:
R$ 10,00 e R$ 5,00 para espetáculos – DUAS OU TRÊS COISAS QUE SEU SEI DELE, MUNDICO SONATA MUDA, CORO DOS MAUS ALUNOS, PESSOAL E INTRANSFERÍVEL, MISTERIO BUFO, ANATOMIA WOYZECK, O CHAMADO DA TERRA;
Entrada Franca para shows musicais no Saguão;
Retirada de Senha com uma hora de antecedência para: apresentações de Processo de Criação e Site Specific e espetáculos GESTOS e SAMBABEMBOM. 


Curta e Compartilhe:
https://www.facebook.com/ComunidadeARTISTAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.